1crônicas 29.10-20

 

Pouco tempo antes de sua morte o rei Davi entregou a seu filho e herdeiro do trono todo o planejamento para a construção do templo (1Cr 29 e 29). O bom plano de Deus era que Salomão construísse o templo. É neste contexto que temos as palavras de Davi que ressoam desde a antiguidade como magnífica expressão de ação de graças.

No ultimo dia 26 de novembro celebramos o mundialmente famoso “Dia de Ação de Graças”, celebrado principalmente nos EUA sendo seu maior feriado. Esta é uma celebração de cunho cristão que podemos e devemos celebrar em consonância com os americanos (ao contrário de outras festas profanas que muitos copiam dos americanos). Sabemos que a gratidão é exigida por Deus e que a ingratidão é inaceitável. A ingratidão é como a traição. No texto enunciado no título acima o rei Davi se coloca diante do Rei dos reis para reconhecer Ele é o Senhor, que nós somos inteiramente dependentes deste Senhor e que diante disso devemos nos oferecer a Deus por inteiro.

 

Davi reconhece que o Deus de Israel é o Senhor de tudo e de todos, e seu reinado permanece para sempre. Como rei, Davi reconhece que tudo deriva do Senhor. Tudo o que normalmente é tributado a um rei pertence primordialmente ao Deus de Israel. Davi que muitas vezes foi ovacionado pelos súditos reconhece aqui a fonte de todo o seu sucesso.

 

O homem segundo o coração de Deus reconhece também a si mesmo e o povo. Ele reconhece que mesmo sendo rei e o povo sendo escolhido de Deus, não teriam condições de sequer oferecer algo a Deus, pois não há valor intrínseco no homem e mesmo o que pode oferecer de melhor vem do próprio Deus. Davi diz que somos estranhos (a palavra do hebraico se refere a alguém recém-chegado) e forasteiros em um mundo criado por Deus, somos como sombras aqui.

 

Por fim o filho de Jessé se derrama dizendo que de tudo o que Deus havia dado edificariam um templo ao Senhor conforme a sua vontade, com sinceridade de coração e ofertas voluntárias. Temos aqui um singelo pedido, um coração íntegro para Salomão e esforço para edificação do templo. Não é um pedido de coisas materiais, pois a oferta é justamente para agradecer também pelos recursos materiais que em sua totalidade provinham de Deus, mas um pedido que visa a vontade e um coração voltado para aquele que tudo pode dar. Sabemos que Salomão aprendeu muito com este momento e que Deus de fato o abençoou amplamente. elo que Deus é, pelo que nos deu e com tudo o que temos e somos, sejamos gratos!

 

Rev. Michael da Costa Souto

 

 

 

06 Dezembro 

Estamos vivendo um período parecido com o narrado primeiramente nas Sagradas Escrituras e ultimamente pela novela exibida pela Rede Record de televisão. Pelo que me parece uma boa produção, contudo obviamente não tem a proposta de expor biblicamente a história do êxodo e salvação dos israelitas, que é fundamental para o povo cristão na história da salvação por Jesus Cristo. Não sou contrário a quem acompanhou esta saga da teledramaturgia, contudo quem quer conhecer a história deve ler a Bíblia Sagrada.

Apesar do título acima, não me proponho enumerar os problemas enfrentados pelo Brasil a fim de relacioná-los com as dez pragas do Egito e formar um cenário apocalíptico com data marcada para a volta de Cristo. A situação que vivemos no Brasil se assemelha (guardadas as devidas proporções) a situação do povo de Israel no Egito porque há uma minoria cristã que em meio a tanta corrupção e opressão clama a Deus por um país livre da idolatria ao dinheiro, que tem corrompido os governantes. Muito do que está sendo descoberto é resposta da oração de alguns que tem clamado a Deus por um país onde de fato se veja “ordem e progresso”.

Esta não é “A Marca” da volta de Cristo, é apenas uma das marcas; cristãos por todo o mundo estão vivendo momentos distintos da história do cristianismo. Estes momentos são partes do plano de Deus. Se encontre e seja encontrado neste arcabouço. 

 

Rev. Michael da Costa Souto

 

 

 

Esperando O MELHOR 1TS 5.1- 11

 

05 DE ABRIL, 

Será que você já ouviu a pergunta: “A gente já chegou?” ou ainda “A gente tá chegando?”. Talvez você se lembrou de uma criança, ou do “burro do Shrek”. A verdade é que somos todos curiosos, uns mais outros menos, uns mais jovens outros mais velhos, uns demonstram outros não. Isto é normal no ser humano. Quando esperamos um evento importante ficamos ansiosos pelo dia de ver tudo se realizar, contudo a palavra diz que não podemos ser ansiosos, se referindo a um sentimento ruim que nos oprime o peito e nos impede de agir lógica e corretamente ou fazer o que precisamos fazer. Saber esperar éum desafio que precisamos encarar de acordo com a palavra de Deus, caso contrário incorreremos em erros desastrosos. No texto desta semana Paulo fala aos irmãos sobre a espera pelo maior evento da humanidade, a segunda vinda de Cristo. Não podemos nos desesperar diante deste evento, nem tampouco nos acomodarmos com relação a ele. A palavra de Deus nos fala sobre o que não podemos fazer e como não podemos pensar, mas em muitas outras coisas ela requer de nós moderação. O apóstolo Paulo procura nos mostrar que mais importante do que quando Jesus voltará é sabermos o que fazer até que ele volte. É aqui que muitos erram e é onde muitos serão surpreendidos. Quando nós humanos temos um evento futuro em que vamos participar entendemos que é necessário gastar tempo para se preparar para este evento. Paulo acabara de falar sobre os mortos, antes que você seja um, pense sobre como você tem esperado e se preparado para este dia. É muito desagradável ser comunicado sobre uma festa, se “preparar” para ela escolhendo a “sua” melhor roupa e ao chegar o evento você descobrir que se preparou de maneira inadequada, pois se preparou da maneira que você achou melhor, quando deveria se preparar conforme a indicação de quem estava promovendo a festa, e/ou, ser barrado por está usando uma roupa imprópria para a ocasião, pois você escolheu a roupa conforme seus próprios padrões, quando deveria vestir a roupa dada pelo próprio dono da festa. Há um grande contraste entre os que esperam o melhor em espírito e em verdade e os que não esperam, não se preparam ou não se importam com isso, vivem cuidando de seus próprios interesses. Esteja atento, esperando sempre o melhor e o melhor que será para sempre.

Rev. Michael da Costa Souto